You can scroll the shelf using and keys

Mães

24 de February de 2011

Eu não sei a sua, mas a minha é cheia de defeitos.

Defeitos de infância, que herdou dos meus avós, cicatrizes dos tombos da vida, marcas da maternidade, e outros defeitos dela mesmo. Uma mulher que poderia facilmente ter feito o que quisesse da vida, mas escolheu ser mãe. Chata, antiquada, repetitiva, invasiva.

E é uma puta mãe. Insuportável, é verdade. Não sei se por ser mãe, ou pelo temperamento catalão. Quase tóxica, onipresente e linda. Como ela é linda. Já recomendei que começasse a mentir a idade. 5 anos a menos pras duas, ela ri e pergunta: “pra que, Carolina minha filha?”.

Sim, ela fala assim comigo: Carolina minha filha VIRGULA comentário. Eu adoro.

Meu pai era o mentor das aventuras loucas, da resistência silenciosa que por malcriação não saía da piscina quando começava a chover. Minha mãe recolhia tudo e gritava de dentro da casa, pra sairmos da piscina. A gente se escondia perto da beirada, corpo submerso na água aquecida pelo sol. Só olhos, nariz e boca pra fora.

Os olhos ficavam fechados, protegidos dos pingos gordos de chuva de verão. Ouvidos dentro d´água e nada além dos meus pensamentos. De que aquilo era uma transgressão incrível e eu e meu pai éramos os melhores amigos do mundo.

Aí, a água da piscina começava a ficar tão fria quanto as gotas da chuva, e eu saía. Corria pra casa onde minha mãe sempre me esperava com uma toalha gigantesca. E me abraçava até o frio da chuva sair do meu corpo.

Feliz aniversário, mãe. Obrigada por me esperar ainda com uma toalha gigantesca de abraços quentes, depois de todas as minhas aventuras que acabam com uma tempestade fria.

Seus filhos te amam e te conhecem, com esses defeitos todos e as qualidades que fazem eles minúsculos.

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Fiquei emocionada…
Adoro seus textos!
Beijo

mariana

21 de March de 2011

Rá! Bjo!

1/2 Carolina Mendes

21 de March de 2011

Ah, você não erra a mão nunca. Lendo sobre sua mãe eu enxerguei a minha, quase idêntica. O velho clichê de que elas apenas mudam de endereço, cada dia faz mais sentido. Beijo procê.

Rodrigo Lamim

25 de February de 2011

Poderia te mandar um e-mail com exemplos de textos em que eu errei a mão. Mas não vou, prefiro te deixar nessa ilusão aí…

:)))

Bjo, obrigada

1/2 Carolina Mendes

25 de February de 2011

Lindo texto, parabéns. Pra ela e pra você. Pelo texto, óbvio.

Cara-a-tapa

25 de February de 2011

Obrigada! Beijos!

1/2 Carolina Mendes

25 de February de 2011

=)

nervouspeople

24 de February de 2011

😉

1/2 Carolina Mendes

25 de February de 2011

Mãe é isso, e muito mais do que isso, coisa da natureza e por natureza indefinível. Parabéns às duas.

verossimil

24 de February de 2011

🙂

Bjo, obrigada

1/2 Carolina Mendes

25 de February de 2011

Obrigada queridos,a toalha e os braços estarão eternamente no plantão,para quando vocês precisarem.
Mentir a idade para que meus queridos,quando se tem filhos como vocês,valeu a pena ter vivido os 61 anos,e ter sido acima de tudo apenas mãe.Os outros papéis sempre serão secundários.Beijos amo muito vocês.Obrigada pelo texto e pelo almoço ,gratas surpresas.

Nuria Marti

24 de February de 2011

Minha mãe fede a cigarro mas eu amoela.🙂

Bruno

24 de February de 2011

Acho justo.

bjo!

1/2 Carolina Mendes

24 de February de 2011

Pela desenvoltura da criatura que nos escreve a falar de sua mãe, não nos causa surpresa ela ser quem é. Acho bacana esse jeitão “desobediente” de ser, cata os ensinamentos, usa-os, é isso que é transgredir de verdade (no bom sentido). Mais uma vez, digo: Você tem uma família INCRÍVEL.

Claudio R. King

24 de February de 2011

Incrível e defeituosa.

E é assim que a gente gosta.

1/2 Carolina Mendes

24 de February de 2011

parabéns pra sua mãe. Linda, linda mesmo! E pra vc também, que sabe reconhecer tudo o que ela tem,fez, faz.

Beijo, nas duas.

Hugo Guimarães

24 de February de 2011

As duas agradecem, bjo.

1/2 Carolina Mendes

24 de February de 2011

Bela homenagem… Parabéns para ela e pra você!

Ivan

24 de February de 2011

Bjo!

1/2 Carolina Mendes

24 de February de 2011

vc é um craque!

academiadabola

24 de February de 2011

ahahhahhaha

bjo, obrigada

1/2 Carolina Mendes

24 de February de 2011

%d bloggers like this: