You can scroll the shelf using and keys

Babá, baby

23 de August de 2010


Pensei longa e seriamente sobre minha preguiça generalizada e completa inabilidade para cumprir tarefas cotidianas. Meu neurologista diz que é sintoma do TAG, minha mãe diz que é falha de caráter e falta de algumas palmadas.

O fato é que, cuidar das coisas, fechar gavetas, limpar sapatos, dobrar roupas, escovar casacos, limpar gavetas de maquiagem, jogar tufos usados de algodão no lixo imediatamente depois de usar, são tarefas que inexistem naturalmente na minha cabeça. Quase uma patologia mesmo.

Enfim, acho que descobri uma solução. Uma babá. Claro que se for um enfermeiro lindo e viril melhora, mas a idéia é ter alguém que cuide de mim e das minhas coisas. Da parte cotidiana da vida.

A babá me acordaria nem muito cedo, nem tarde demais. Me levaria café da manhã na cama, sem muita conversa, sem perguntar como eu dormi, me perguntaria que roupa eu quero usar depois de informar como está o clima, e o dia lá fora. Traria meu roupão e iria abrir o chuveiro na temperatura ideal. Esfregaria minhas costas, lavaria e desembaraçaria meus cabelos e me deixaria relaxando. Me avisaria quando fosse hora de sair do banho, me enxugaria, deixaria a pasta de dentes na escova, o adstringente no chumaço de algodão. Depois me vestiria, arrumaria o notebook na bolsa, celular, máquina digital, aplicaria filtro solar no meu rosto e me lembraria das contas do dia.

Na hora do almoço, levaria suco fresco, salada e um grelhado até o escritório, leria as últimas notícias da UOL enquanto eu como, lavaria a louça e me daria café. A noite me esperaria com o jantar pronto, repetiríamos a rotina do banho, só que agora com o antirugas noturno e hidratante no corpo. Massagearia meus pés e cuidaria das minhas unhas enquanto eu vejo a novela. Quando eu tivesse sono, ligaria o notebook na cama, me cobriria com o edredon, ajeitaria meus travesseiros, me traria leite depois de 20 minutos e voltaria depois que eu adormecesse, pra tirar o notebook e os livros da cama e apagar a luz.

Pelo MSN hoje de manhã, um amigo disse que eu vou ter uma babá quando for velha. Pela primeira vez, envelhecer não pareceu das piores coisas. Será que eu posso começar a treinar com 35 a ser velha? Preguiça total de me cuidar sozinha, eu dou muito trabalho.

Candidatos e candidatas podem deixar contato e referências aqui.

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Sensacional!
Acho que tb quero uma babá!!

Juliana

23 de August de 2010

Babá e motorista, meus atuais sonhos de consumo.

Bjo!

1/2 Carolina Mendes

23 de August de 2010

%d bloggers like this: