You can scroll the shelf using and keys

O meu, o seu e o nosso

30 de July de 2010

Mudei de time.

Não, não me refiro a minha opção sexual, sigo hétero, solteira e feliz. Abandonei o SPFC.

Explico:

Minha mãe é espanhola, veio pra cá (Brasil) em julho de 1952, em um navio que saiu de Barcelona com destino a Buenos Aires. O destino e o mal estar da minha avó não quiseram que eu fosse argentina, e eles desceram em Santos, primeira parada do quinteto formado por minha mãe, tio, avô, avó e bisavó. Vieram expatriados pelo Franco, ditador que colocou a Espanha em guerra civil. (prometo desenvolver em outro post)

Pois bem. Uma vez instalados em São Paulo, zona leste (onde quase todos os imigrantes espanhóis iam morar), meu avó logo se informou que o time da colônia era o Corinthians, se associou e passou a praticar regata pelo clube no rio Tietê. Logo, minha mãe é corinthiana.

Por outro lado, a família do meu pai (campineira quatrocentona) se divide entre Palmeirenses e Santistas. Porque são italianos? Não. Porque parte morou em Santos e parte é do contra. E parece que não ficava bem ser do contra sendo corinthiano ou são paulino.

Pequena Carolina cresceu sem maior interesse por futebol, até descobrir que os amigos da escola torciam pelo SPFC. Espertamente também descobriu que escolhendo o São Paulo, seria convidada pra tardes de domingo na casa dos amigos, também não privilegiaria nem mamis, nem papis. Passou o tempo e o SPFC entrou na era Raí e virou tudo uma enorme festa.

A filha da corinthiana e do palmeirense virou são paulina.

Na abertura da Olimpíada de Barcelona, acompanhei com meu avô a festa de abertura. O homem que foi perseguido, preso e torturado pela ditadura do Franco na Espanha, via seu povo, sua terra e seu idioma transmitidos pro mundo. Meu avô chorou ouvindo o texto em catalão e me explicou coisas incríveis sobre o amor a pátria, o valor da liberdade e de ter um lar.

Dois anos depois eu estava em Barcelona e assisti o final da Copa, comemorei com primos e tios e senti orgulho do Brasil. Com a euforia futebolística fui conhecer o Camp Nou em Barcelona, ouvi histórias sobre o envolvimento do clube na luta pela liberdade.

Passei a amar o Barça.

Ando muito aborrecida com o futebol e com os times mais aparecidos. Futebol pra mim é paixão e babaquice sadia. Nada do que eu tenho visto no futebol nacional. Virou tudo babaquice neurótica. Li sobre a história dos clubes, espiei, pensei e tô namorando a Lusa. SPFC, está de castigo por ter se perdido loucamente, por não provar no presente ter se refeito do erros passados e escolhas convenientes. E por não me fazer mais torcer, sigo de olho mas estamos temporariamente rompidos.

Tô exercitando mente e coração, lendo sobre o clube e torcedores. Estamos nos conhecendo. Estou voltando a amar o futebol das histórias do meu avô, do silêncio do Camp Nou e da contrariedade sincera. Meu novo time pode não ser a escolha óbvia mas me conquistou, parece ser més que un club.

Talvez pra voltar a amar o SPFC eu precise desse tempo.

Deal with it.

Barça na Wiki
Lusa na Wiki

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Não, mas tenho mta vontade de conhecer a Catalunya. Por foto nota-se a diferença de lá em relação às terras castellanas… Me apaixonei por lá desde que comecei a ler sobre a história do lugar. Realmente, povo bem firme. Dá até pra notar em você, afinal tem o sangue de lá… hahahaha
Olha isso em Girona… http://upload.wikimedia.org/wikipedia/en/1/13/Girona_riverside_HDR.jpg imagina fazer isso no Tietê !

Phil

4 de August de 2010

Deveria, todo mundo deveria.

Bjo!

1/2 Carolina Mendes

4 de August de 2010

Tot el camp és un clam som la gent blaugrana. Tant se val d’on venim si del sud o del nord ara estem d’acord, ara estem d’acord, una bandera ens agermana !

Phil

4 de August de 2010

Olha, te digo que catalão me emociona.

Sinto falta disso aqui, um time com histórias e História.

Como lidar? Me mudo pra Tarragona e vou fazer topless com minha tias?

1/2 Carolina Mendes

4 de August de 2010

Se for pra Tarragona, favor me levar na bagagem ! =D

Phil

4 de August de 2010

Conhece? A mãe espanhola do primeiro post do meu romance com a Lusa é de lá.

Cidade encantadora. Povo firme, tias LOUCAS.

1/2 Carolina Mendes

4 de August de 2010

Se vc levar em consideração a historia de um clube para torcer por ele, esse castigo do SPFW durara para sempre!!!

Se quiser saber um pouco mais sobre a historia do seu time, de uma lida nisso http://cruzdesavoia.wordpress.com/2010/06/16/biografia/

Washington

2 de August de 2010

É esse meu medo, não voltar mais.

1/2 Carolina Mendes

2 de August de 2010

Meu, não abandona o tricolor nãao! É nessas horas
k seu time precisa de vc!!!
que vidinha esportiva mais conturbada heim?!
TELÊ, ZETTI, LEONARDO, RAÍ…
ROGÉEEERIO CENI(aliás era o cara que mais ava em cena ná
última partida…)
Volta Carol!!

andreia

2 de August de 2010

Tô dividida. Pesa um pouco a postura do SPFC durante o governo militar. Mas aí eu penso: “e daí?”. Não sei…

Porque você ama o SPFC?

1/2 Carolina Mendes

2 de August de 2010

é bem a cara de são paulino, mudar de time assim como muda de calcinha, se fosse curintiana com certeza não teria tal postura.

RH

2 de August de 2010

Já vi de tudo nessa vida, já tem segundo capítulo meu romance.

Leia lá: http://br.oleole.com/blogs/carolinamendess-blog/posts/primeiro-encontro

1/2 Carolina Mendes

2 de August de 2010

Muito bom o texto. Se é pra deixar de torcer que seja deixar de torcer pro arrogante SPFC…

Maurício Targino

30 de July de 2010

Né por nada, mas por isso que corintiano é diferente… Não tem nada que faça o amor diminuir. Pelo contrário. Taí o exemplo do tropeço pra série B que não me deixa mentir. Enfim, pena que você não seguiu o amor da mamãe ao Sport Club Corinthians Paulista.
Beijo e boa sorte com suas dúvidas.

ALe Potas

30 de July de 2010

Eu sabia que seria espancada publicamente.

Entendo, mas não consigo mentir. Tô chateada e faço birra.

1/2 Carolina Mendes

30 de July de 2010

Não bastasse a filha me emocionar com os textos agora vem a mae, putz !!!

Tais convidada para ir conhecer o canidé e se acabar no vinho e nos bolinhos de bacalhau opra pois

Nelson

30 de July de 2010

Minha mãe é a pessoa mais chata e mais legal que eu conheço.

1/2 Carolina Mendes

30 de July de 2010

Doce menina, a vida tem lá suas coerências ou incoerências. Vc resolve falar de futebol , das suas origens,exatamente no dia em que o português e a corinthiana fariam 41 anos de vida juntos, e 36 de oficialmente casados conforme requisitos dos bons costumes socias da época.

E no dia 25 deste mes fez 58 anos que a caçula da familia dos foragidos parou no porto de Santos.

Não imaginava que vc lembrasse da reação do Yayo nas olimpiadas de 92 em Barça, mas tenho absoluta certeza, que para ele foi a grande vitória pessoal.

Ver o Catalão falado para todo o mundo… Quando morreu em dezembro daquele ano, a morte lhe foi mais leve. Como se todos os problemas que enfrentou, finalmente tivessem valido a pena.

Com certeza ele se sentia parte que fez a mudanca acontecer. Nada é mais democrático do que respeitar os valores individuais, e isso parece que o Generalissimo Franco não sabia.

(estou com o lap do Ju e não acho porra de acento nenhum, mas vai assim mesmo)

Mas da mesma forma, que meu pai me ensinou que a patria é maior do que o homens que a governam por um tempo, penso que em escala menor também serve para um clube. Por outro lado, acho que contestar e pensar em mudar é direito e dever do ser inteligente.

Te amo gênia.

Mãe

Nuria

30 de July de 2010

Acho que eu tô ficando velha, Gor.

Me pego pensando nas coisas que passaram e fazendo ligações e avaliações loucas sobre assuntos variados.

Fico pensando que histórias eu vou contar daqui a 20, 30 anos sobre a minha vida e as minhas escolhas.

Sei lá, sei que não é bonito ou louvável dizer por aí que se está pensando em mudar de time, que não se abandona o navio na primeira ameaça de naufrágio, mas anda tudo meio relativo. Enfim, tô namorando outro time pensando. Veremos que acontece.

Tbém te amo.

Filha

1/2 Carolina Mendes

30 de July de 2010

Amiga … sinceridade!
Estou a 31 anos “in love” com a Lusa e não recomendo muito disso pra ninguém…
Diretores de clube serão sempre diretores de clube. Tirando o fato de que a Lusa é administrada como se fosse a padaria do Manoel da esquina!
#sadfact

Fabio Marques "Portuga"

30 de July de 2010

É só um namoro, veremos.

1/2 Carolina Mendes

30 de July de 2010

Que linda estoria! Uma vez Barça, sempre Barça! Uma vez São Paulo, sempre São Paulo! Entendeu?!! Fui claro? Podemos ter simpatias por outros clubes, Portuguesa me traz recordações, ali foi meu primeiro show de Rock. Mas simpatia não justifica adultério, entendeu? Fui claro?!! Olha pra mim qdo eu falar com vc!!! hehehe…

THUNDER

30 de July de 2010

ahahahhahahahahhahahahahaha

o são paulo tá de castigo, gato….

1/2 Carolina Mendes

30 de July de 2010

3 notes

  1. Primeiro encontro « Neosaldina Chick reblogged this and added:

    […] Perdeu a primeira parte da minha mudança? Leia aqui […]

  2. O despertar de uma era | Neosaldina Chick reblogged this and added:

    […] quem não leu, capítulos anteriores O meu, o seu e o nosso Primeiro encontro Vice […]

  3. Tweets that mention O meu, o seu e o nosso | Neosaldina Chick -- Topsy.com reblogged this and added:

    […] This post was mentioned on Twitter by Carolina Mendes and Carolina Mendes, Carolina Mendes. Carolina Mendes said: @Roxmo @Bruno_Scolari @LuizThunderbird Aprendam com a Nuria mamis como dar bronca concordando: http://twurl.nl/ldrlg7 […]

%d bloggers like this: