You can scroll the shelf using and keys

un moment si vous plait

20 de July de 2010

Ah, a vida. Anda foda e cruel e violenta e real.

Pode espantar vocês, caros amiguinhos, mas a vida anda dolorosa e implacável com todas as vírgulas, pontos e poréns que foram largados por aí.

Imagino que a primeira grande surpresa que vocês tenham tido, é o fato de existir uma vida offline. Opa se existe. Cheia de merdinhas e cagadas. Minhas, suas e nossas.

Sorte que eu tenho em ter amigos leais e constantes, um irmão que é de longe o melhor sujeito que eu já conheci na vida, e uma mãe que é acima de tudo honesta.

Entendo essa gente que se joga em livros e psicologia, que nunca bate, nunca grita, nunca erra. Ou pensa que nunca erra. Ou que tenta não errar, muito mais pra evitar repetir os próprios traumas, do que qualquer outra coisa.

Isso não aconteceu na minha infância, ninguém errou de propósito, é óbvio, mas não tive um mundo acolchoado e sem quinas. Quinas e tombos reais, não só contrariedades e “nãos” corriqueiros. Cresci em uma casa amorosa e tumultuada, como a vida é. Tive um pai que era só coração (com as vantagens e desvantagens que isto traz), e uma mãe que fez, como ainda faz o melhor que pode, mas não tem vergonha de dizer “eu não sei o que fazer”, ou “eu não consigo”, ou “eu não aguento mais”. Que chorava, e de vez em quando demorava mais do que o necessário no passeio com a cachorra. Tivemos, nascimento de irmão, doenças, morte, um plano Collor, excesso de dinheiro, falta de dinheiro, férias na Europa e natais com presentes vagabundos do supermercado.

Aprendi que ser a mais amada, não significa ser sempre prioridade. Que minhas perguntas às vezes não tem respostas imediatas e objetivas, que às vezes dá tudo errado, independente do esforço empregado. E que errar faz parte.

E que a maior segurança vem do fato de saber que tem alguém disposto a sentar do meu lado quando fode tudo, que chora junto e mesmo sem saber o que dizer ou o que falar, fica até o desespero passar, e a dor da pancada virar hematoma.

“Dear Leonard. To look life in the face. Always to look life in the face and to know it for what it is. At last to know it. To love it for what it is, and then, to put it away. Leonard. Always the years between us. Always the years. Always the love. Always the hours.”
— Michael Cunningham (The Hours)

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

hahahahaha como eu nao mexo la naquilo e eu perdi o seu email me manda um email que eu te mando todas as fotos minhas que vc quiser.

anota ai XXXXXX@globo.com

Nelson

20 de July de 2010

Brincadeira na verdade, te mandei um e-mail outro dia desses….

mas é sério, não precisa.

1/2 Carolina Mendes

20 de July de 2010

Ah e não se deprime não….

Não te conheço intimamente… mas o Universo conspira ao seu favor… e eu tambem

Nelson

20 de July de 2010

Pior solteiros… sos no mundo sem que nos aqueça em noites de frio… não de uma pegada mas de um amor verdaeiro…

Bem eu to falando por mim…

To querendo aquecer coraçãoes, quem vai querer ????

Hahahaha

To ficando velho e gaga alem de babaca, hahahaha

Nelson

20 de July de 2010

Pq eu ja tive que viver quase um ano, no Rio Grande do Sul, e acabei pegando o jeito deles de falare,… mesmo ja tendo anos que isso aconteceu, logo tornei o guria, uma forma carinhosa de tratar pessoas especiais.

E não de idadem hahahaha

To na mesma casa, que vc 2.9 de olho no 3.0 em setembro.

Sou velho ?

Nelson

20 de July de 2010

Somos velhos, idosos, a beira do abismo.

Isso me deprime.

1/2 Carolina Mendes

20 de July de 2010

Só por sua causa… e pelo se post. hahahaha falando sobre twitter,

a partir de amanha terei um pra mim… nem sei mexer, mas vamos la

ahhh só pra te falar, vc esses dias aceitou o meu pedido de amizade no facebook, coisa que eu nem uso, hahahaha

vai guria, explode esse mundo que vc é demais, te adoro muito

Nelson

20 de July de 2010

Pq guria?

1/2 Carolina Mendes

20 de July de 2010

Eu ando por ai… sabe como é…. quem ira me notar… vc anda com tantos admiradores, que eu tive ate ciumes de um ai que andou te enchendo o saco…

Carol, desculpe a intimidade, mas juro se eu tivesse uma editora, ia lançar um livro seu, nem que fosse pra falar sobre o porque que morangos sao vermelhos…

Vc escreve e emociona muito

Nelson

20 de July de 2010

Admirador bom, é admirador antigo. Não se preocupe.

1/2 Carolina Mendes

20 de July de 2010

Depois de ler isso, tive que ligar pros meus pais e falar que eu amo eles.

Nelson

20 de July de 2010

Olha quem apareceu, andava sumido…
Bjo!

1/2 Carolina Mendes

20 de July de 2010

Parece até que vc está falando demim.Adorei.

RLomardo

20 de July de 2010

Obrigada! Bjos.

1/2 Carolina Mendes

20 de July de 2010

%d bloggers like this: