You can scroll the shelf using and keys

as voltas que o mundo dá…

12 de July de 2010

Aí o pouco amor que existia vai acabando, e fica só um nojo generalizado, e um alívio por estar livre.

Aí o mundo dá voltas e depois de meses imaginando “como seria se”, “eu deveria ter feito/dito/evitado”, seu cérebro finalmente compreende todos os olhares de alívio dos amigos, as expressões de espanto (“ELE te traiu?!?”), e você percebe que esteve em um mundo paralelo e que ali definitivamente não era seu lugar. E abandona o universo dos blues doloridos e espionagem virtual compulsiva.

Aí o dia amanhece, e a noite te surpreende, e você se pega olhando fotos e vestígios eventuais, mais por hábito do que por interesse, com mais asco do que qualquer outra coisa. Aí respira aliviada, que tudo deu errado, e aquela vidinha agora tem outra protagonista, e não é mais você. E o futuro é um mar de possibilidades.

Aí você se atreve a olhar pro céu, e não está mais nublado.

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Pfft…que exemplo tosco. Que comentário tosco. Que pessoa tosca.

Mercedes

13 de July de 2010

me mudarei pro interior e faremos filmes loucos

será que aí me encontram?

1/2 Carolina Mendes

13 de July de 2010

Parece um daqueles textos da Clarah Averbuck na época em que ela traiu o namorado e queria que ele voltasse pra ela, afinal de contas, ela era A CLARAH AVERBUCK. Aquelas inversões que as pessoas fazem, como se ele tivesse te traído, quando sabemos que a verdade é que vocês estavam separados.

Parece mesmo, mas bem mais mal escrito (acabo de ver que é possível).

Continue escrevendo, Carolina. É divertido te ler.

Joaquim José

13 de July de 2010

Só pra constar, o texto estava escrito como rascunho faz semanas. Não foi uma provocação, só postei pra aproveitar oq já estava feito.

1/2 Carolina Mendes

13 de July de 2010

Separados é a versão oficial? Mto conveniente.

1/2 Carolina Mendes

14 de July de 2010

E La Nave Va

Alberto Guedes

12 de July de 2010

Inevitável, né não?

1/2 Carolina Mendes

12 de July de 2010

Disse tudo.

Luciana Sabbag

12 de July de 2010

A dor é bem pouco criativa, se aplica a todas nós. Bjo!

1/2 Carolina Mendes

12 de July de 2010

%d bloggers like this: