You can scroll the shelf using and keys

Louca de pedra

26 de June de 2010

Meu nome é Carolina e eu sou tomada por ataques de fúria.

Explico.

Me custa muito perceber que ter razão é insuficiente. Relacionamentos humanos são difíceis, é um balanço tênue entre o que cada um precisa, em que intensidade, e que prioridade. Ok, ainda não sendo clara.

Me magoaram. Por X, Y ou Z motivo. Indifere.

Eu segui o protocolo e apliquei a regra da intolerância e mandei a pessoa pastar. Eu estava certa, eu era a vítima e a humilhação da traição era compensada pela reação firme, rígida e assertiva.

Me esqueça, morra, vc é um calhorda e merece tudo que existe de pior.

Só que o tempo passa e eu sigo manca e chorona. Quero voltar, sou capaz de dar uma segunda chance? Não. Mas me faz querer vomitar saber que mesmo tendo razão eu ainda não me recuperei. Porque nessas coisas não basta ter razão, é preciso seguir em frente.

Soma-se a óbvia humilhação de ser traída, a humilhação de ainda não estar bem, o rancor, a mágoa e a intimidade. O resultado é que essa mocinha que vos fala, fala demais, digita depressa e acha que levar o outro ao desespero e desequilíbrio é sinal de vitória. Meu palpite é que não deve ser bom, pq eu me sinto a última das criaturas.

Perdi a razão, perdi a possibilidade de um dia resolver isso de forma não traumática e ganhei um belo foda-se. Sou má pessoa, sou escrota, sou maluca? Não. Sou desses cachorros atropelados que rosnam e mordem qquer um. Somemos essa linda características às outras que vcs já tinham descoberto.

Saudades do tempo em que eu era inteira.

Vontade de dormir até o fim do mundo chegar.

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Primeiro Seja – Relacionar-se é uma das maiores coisas da vida: é amar, compartilhar. Para amar é preciso transbordar de amor e para compartilhar é preciso ter (amor). Quem se relaciona respeita e não possui. A liberdade do outro não é invadida, ele permanece independente. Possuir é destruir todas as possibilidades de se relacionar. Relacionar é um processo. Relacionamento é diferente de relacionar-se: é completo, fixo, morto. Antes devemos nos relacionar conosco mesmos e escutar o coração para a vida ir além do intelecto, da lógica, da dialética e das discriminações. É bom evitar substantivos e enfatizar os verbos. A vida é feita de verbos: amar, cantar, dançar, relacionar, viver…

O Outro Dentro de Você – Nada machuca mais do que quando um sonho é esmagado, uma esperança morre, o futuro se torna escuro. A frustração representa uma parte muito valiosa no crescimento espiritual. Qualquer um que seja dependente de alguém, odeia essa pessoa.

Há mais, muito mais e outros mistérios entre o céu e a terra… e a vida não é fácil não, mas pode ser melhor compreendida e ser melhor vivida… contudo, penso que não é crível viver sem beijar…E o que é um beijo?

É um voto carimbado com a iminência de um lábio; um compromisso adequadamente celebrado; uma promessa feita com gosto; um círculo róseo traçado em torno do verbo “amar.”; um segredo para ser contato na boca do outro…

Um beijo é uma mensagem muito íntima para ser compreendida… capturado perfeitamente na breve visita de uma abelha a uma flor; uma comunicação secular com o gosto do céu; o pulso subindo para proferir um nome nos lábios e nos corações dos amantes: «Eternamente» (ou enquanto dure…).

Horst

30 de June de 2010

Bjo! Obrigada!

1/2 Carolina Mendes

30 de June de 2010

bonita, toma um whikão, desce até o chão e liga para as amigas. traição fode com a cabeça das pessoas. e o filho da puta escroto que morra queimado.
beijos!

marina

30 de June de 2010

Adorei o comentário girlpower, bjo!

1/2 Carolina Mendes

30 de June de 2010

Prefiro pensar que esse tal “lucho” é algum amigo da Carol, que está de sacanagem ou querendo gerar polêmica. Qualquer coisa diferente disso me faria ter ainda mais nojo da espécie humana, por ter gerado elemento tão detestável e babaca.

fabio_piva

28 de June de 2010

Pior que não é meu amigo, não tenho amigos idiotas. É quase engraçado, não é? Bjos!

1/2 Carolina Mendes

28 de June de 2010

Lucho! Não seja inconviniente! Isso é inveja ou vc é muito babaca!!!

Mislene Lopes

28 de June de 2010

Fina vc, hein, Adorei!!!! Bjo!

1/2 Carolina Mendes

28 de June de 2010

Háá, eu me identifico com a sua loucura, e há tempos me identifico.
Acho que todos somos loucos, a diferença é que uns escondem e passam a vida de cabelo penteado e banho tomado tentando parecer normal, enquanto outros assumem sua loucura, porque ser louco é a coisa mais normal do mundo. É sim.

Vanessa Pinho

26 de June de 2010

Vc não imagina nunca que vai se esquecer desse tipo de coisa. De que no fundo tá tudo bem, e que a loucura faz parte. Mas ás vezes esquece. Bom ser lembrada. Bjo!

1/2 Carolina Mendes

26 de June de 2010

Sofrimento é foda, o pior é ficar remoendo o passado, esquecer é difícil principalmente se foi algo intenso realmente, e se você for canceriana ai você ta perdida, mas boa sorte

Samuel

26 de June de 2010

Tem que passar, senão não serviu pra nada. Só que tá demorando.

1/2 Carolina Mendes

26 de June de 2010

gorda palha, ainda fica esmolando homem no twitter!
asjhlkasjhflkjashlfa
fim da varzea

lucho

26 de June de 2010

Adorei! Obrigada por continuar visitando o blog, SEUS LINDOS.

1/2 Carolina Mendes

28 de June de 2010

Anônimo

26 de June de 2010

🙂 Músga é sempre bem vinda.

1/2 Carolina Mendes

26 de June de 2010

the raconteurs old enough

You look pretty in your fancy dress
But I detect unhappiness
You never speak so I have to guess
you’re not free…

Dear, maybe when you’re old enough
You’ll realize you’re not so tough
And somedays the seas get rough
And you’ll see…

You’re too young to have it figured out
You think you know what you’re talking about
You think it will all work itself out,
but we’ll see…

When I was young, I thought I knew
You probably think you know too
Do you?
Well do you?

I was naive just like you, I thought
I knew exactly what I wanted to do
Well, what you gonna do?
What a fool…

And how have you gotten by so far
Without having no visible scar
Knowing, knowing who you really are
that can’t see…

What you gonna do… What you gonna do… What you gonna now?
What you gonna do… What you gonna do… What you gonna now?
What you gonna do… What you gonna do… What you gonna now?
What you gonna do now?

Yeah…

The only way you’ll ever learn a thing
is to admit you know absolutely nothing, Oh nothing…

Think about this carefully
You might not get another chance to speak freely
Oh freely…

Baby when you’re old enough,
Baby when you’re old enough,
Baby when you’re old enough,
you’re not free…
Yeah, you’re not free…

vai ficar tudo bem.
bjo.

Anônimo

26 de June de 2010

Talvez.

1/2 Carolina Mendes

26 de June de 2010

Pois é, minha cara amiga. Se você é louca pelos motivos expostos, então somos todos.

Todos.

Quem pensa que viver é fácil, das duas uma: Ou vive alheio aos próprios problemas, ou não vive direito. Viver é isso: Tropeçar, cair, esfolar-se, enganar-se, machucar-se, transitar do amor ao ódio em segundos. E os relacionamentos, estes são compostos de microscópicos conflitos que, eventualmente, levam a algo maior e mais maduro ou ao caos e à desordem. E quem lhe disser o contrário, estará mentindo.

Mas quer saber? É isso o que nos faz humanos. É isso o que nos faz vivos. E prefiro mil vezes viver intensamente e sofrer, a viver em apatia, protegido por uma bolha de conforto que me priva de tudo e de todos.

Você é talvez um dos seres humanos mais intensos que eu conheci ultimamente. E vamos em frente que isso aqui é só o começo.

Beijos

fabio_piva

26 de June de 2010

Sabe oq eu ganho por ser intensa? Surras memoráveis.

1/2 Carolina Mendes

26 de June de 2010

Vc é humana. Todos tem quedas e se levantam e vc tem força suficiente para se levantar. Não desista.
E volte ser inteira como antes.
Força. Nunca desista carol.
Vc nunca estará sozinha!

You’ll Never Walk Alone
Liverpool F.C

When you walk through a storm
Hold your head up high
And don’t be afraid of the dark
At the end of the storm
There’s a golden star (sky)
And the sweet silver song of a lark

Walk on…
Through the rain…
Walk on…
Through the rain
Walk through the wind
And your dreams be tossed and blown…

Walk on… (walk on)
Walk on… (walk on)
With hope (with hope)
In your heart…
And you’ll never walk alone
You’ll never walk alone.
Alone…

Walk on… (walk on)
Walk on… (walk on)
With hope (with hope)
In your heart…
And you’ll never walk alone
You’ll never walk alone.
Alone…

You’ll never…
You’ll never walk alone…

Walk on… (walk on)
Walk on… (walk on)
With hope (with hope)
In your heart…
And you’ll never walk alone
You’ll never walk alone.
Alone…

You’ll never walk…
You’ll never walk alone…

@SerginhOliveira

26 de June de 2010

Obrigada, bjo!

1/2 Carolina Mendes

26 de June de 2010

1 notes

  1. O dono do IP 189.bullshit | Neosaldina Chick reblogged this and added:

    […] comentários são este e este, deixados no post “Louca de pedra” e “Maradona> […]

%d bloggers like this: