You can scroll the shelf using and keys

K-k-k-kids

24 de May de 2010

Crianças, criaturas adoráveis. Ou não.

Depende da sua vontade de ser mãe, ou real condição de mãe.

Ouço muito:
Quando você tiver filhos, você vai mudar de opinião.
Também não gosto de crianças, mas meus filhos são diferentes.
Maternidade é uma bênção.
Grávidas são lindas.
VC diz isso agora, daqui a 10 anos vai se arrepender.

Realidade é:
Crianças são sujas, barulhentas, inapropriadas, caras e frustrantes. A culpa disso é das mães.
Se você teve filhos, até eles terem idade e adestramento adequados, gostaria que você só freqüentasse lugares realmente preparados, e com pessoas na mesma situação que você.

Sim, sou babaca, insensível e injusta. Não quero seu pequeno hooligan acompanhando minha caipirinha de jabuticaba e manjericão no Spot.

Culpados pela selvageria infantil generalizada, pais. Única e exclusivamente. Por isso eu te olho com desprezo e nojo quando seu filho joga comida em você e chama a avó de puta. você fracassou.

Amamentar em público é aviltante. Não é puritanismo, não é falsa moral, não é implicar. você troca seu o.b. em público? Pois é…

Agravante: se seu filho anda e fala, ele não deveria mais mamar no seu peito. Ele não deveria mais ser amamentado. Caso você seja uma dessas mães-terra, ensine o pequeno pervertido a cochicar no seu ouvido e dirija-se ao berçário, banheiro mais próximo. Se tranque no carro, se cubra com uma lona. Vi um menino de 9 anos, chegar na mãe, puxar o peito e pedir pra mamar. Ela, sem pestanejar ou interromper o assunto num churrasco, colocou a aureolona no jogo e nutriu o pentelho. Quase vomitei.

Homens, vejam bem quem está criando seus filhos enquanto vocês prosperam profissionalmente e enriquecem. Mães, se quem vai criar seus filhos é a empregada, que seja uma governanta alemã. Ou que não fique sem supervisão.

Se você é contra cigarros e bebida, sentar na mesa dos fumantes beberrões em aniversários, churrascos e jantares, não é uma boa idéia. Sim, é grosseria me pedir pra apagar meu cigarro, sim é grosseria policiar meus palavrões. Simplesmente afaste-se de mim. Quando eu for a sua casa, me portarei de acordo com os seus padrões. Cá, fora no mundo, é salve-se quem puder. Cheguei primeiro.

A não ser que seu filho cuspa fogo aos 3 anos de idade, o quê ele sabe/consegue/aprendeu não me interessa. Seus filhos não são incríveis, seu método não é inédito.

Cinema, teatro, restaurantes, bares. Trabalhe e contrate uma babá ou abdique. Não saia de casa, ou saia sem crianças.

Claro que você se julga melhor e mais evoluída do que eu.
Claro que você se julga mais mulher, mais completa.
Claro que você se sente mais segura e mais relevante humanamente.
Claro que você sente um amor que eu nunca vou entender.

Não fosse isso, provavelmente você também não suportaria ser eternamente mãe.

Sim, eu tenho que conviver com crianças de vez em quando, mas evito. Não sou grosseira, não sou maldosa, não maltrato. Mas me dou o direito de levar uma vida primordialmente kid unfriendly.

Deal with it.

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Falou tudo e mais um pouco.

Eu ainda acrescentaria que 90% dos pais estão falhando incrivelmente na educação de seus filhos, e assim criando uma geração de adultos irresponsáveis, incompetentes e frustrados.

A maior bobagem é quando te dizem: a mas espere até ter seus filhos. Oras e quem disse que eu vou ter filhos? Se eu não gosto de crianças, é óbvio que não vou ter filhos, afinal filhos não são test-drive: você faz e devolve… não filhos você faz e cria, ao menos deveria ser assim, mas a gente sabe e vê no dia a dia que nem todos criam.

Sim, eu tenho que conviver com crianças de vez em quando, mas evito. Não sou grosseira, não sou maldosa, não maltrato. Mas me dou o direito de levar uma vida primordialmente kid unfriendly. [2x]

Marilia

18 de December de 2010

\o/

1/2 Carolina Mendes

18 de December de 2010

É isso ai,tenho filho e concordo plenamente.

Atualmente me encaixo na categoria das que não saem de casa ou saem SEM o filho!

E qto à amamentação em público ou não de crianças COM DENTE, que andam e falam acho totalmente “disgusting” e reflete uma “doença” materna. Terapia explica.

Daniela

18 de December de 2010

Sou meio contra amamentar em público, sempre.

Mas esse caso do texto quase me matou de nojo.

Bjo!

1/2 Carolina Mendes

18 de December de 2010

Nossa Carolina concordo com vc! Cada um que aguente suas crianças. Eu aguento meus sobrihos pq os amo de paixão, mas confesso que de vez em quando me canso da atividade intensa. Quanto aos meus, desisti!
Quem sabe eu não mordo a língua, não é?!
Adorei seu bog. Beijos

Hellen

27 de May de 2010

Oi Hellen!

Sabe que recebi e-mail de amigas e mensagens no facebook resmungando e esperneando?

Bom saber que algumas mães mantém o senso de humor. Bom sinal pro mundo e sorte dos seus filhos.

Bjão, obrigada!

@carolinamendes

1/2 Carolina Mendes

27 de May de 2010

%d bloggers like this: