You can scroll the shelf using and keys

Fácil falar?

5 de October de 2009

Pra começar, a música do post anterior, mta gente me perguntou a respeito.

É Rachel Yamagata cantando I wish you love em voz e piano.

Segundo, lembrei que faz parte do irregular mas suportável (Uma Thurman e Meryl Streep até quanto não estão bem, são ótimas…) “Terapia do Amor”. Não chega a entrar na lista, mas é recomendavel pros menos exigentes, ou recalcados.

Sobre amores, não impossíveis mas impossibilitados, dói. Não dói pouco não, dói pra caralho.

Sobre casamentos, admiro quem consiga assumir esse tipo de compromisso, com certa desconfiança. Primeiro que alguém em sã consciência possa prometer qualquer coisa pro resto da vida. Nem mesmo prometeria que “nunca mais colocarei catchup na pizza”.

Fico pensando, nem eu sei quem eu serei em 15 anos, como saber quem o outro vai ser, quem iremos conhecer até o fim dos dias, etc etc etc…

Mas o fato é, pra algumas pessoas, em dado momento, essa promessa fez sentido e destruir essa certeza seria cruel demais. No caso dos homens, acho que esse tipo de decisão é ainda mais dolorosa, se o sujeito não for um idiota completo, por motivos sociais, históricos, da sociedade… Enfim to resmungando e racionalizando a dor.

Atitude medíocre= post medíocre.

Queria na verdade falar do filme, e tentar… Sei lá, tentar entender o post de ontem.

Às vezes me pego nas minhas mentiras.

Me faço chorar.

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Nunca teremos. Casando ou não. É uma merda, mas faz parte da nossa condição.:-/

Erica

13 de October de 2009

Érica, no meu caso, não é sentido, é certeza.Certeza de que quem está ao meu lado está por mim e não por comodismo ou medo.Não que seja o seu caso, mas nunca teria certeza.

Carolina

13 de October de 2009

Sabe, casar não faz muito sentido mesmo. Mas o que faz? Não é que eu não tenha pensado em todos os contras, mas é que eu estava a fim assim mesmo. E, no fim das contas, casar foi muito melhor do que eu imaginava. Recomendo. ;-)Érica

Erica

13 de October de 2009

1-Tbem fiquei com saudade. E falei demais.2-Mentiras, verdades, fantasias, literatura. Em um blog de uma anônima, faz diferença?Tbem acredito.

Carolina

6 de October de 2009

Mentiras sinceras, acredito…

Frodo Balseiro

6 de October de 2009

te estraño

Anonymous

6 de October de 2009

%d bloggers like this: