You can scroll the shelf using and keys

Quando a arte subiu no telhado

13 de July de 2009

Arte pra mim é nosso elo de ligação. É a manifestação do humano e produto de criatividade, habilidade, obstinação e sensibilidade.

Rock foi e vai voltar a ser uma manifestação musical e artística que vai dar voz aos oprimidos. Jovens e coroas, pobres e ricos, intelectuais e ignorantes, pacifistas e violentos. O rock carrega a tradição rebelde, a musicalidade que faz o coração bater ritmado, e a poesia que faz a inteligência sentir.

Desde o seu surgimento, a tribo dos roqueiros experimentou, testou limites da sociedade, da química, do amor, do dinheiro, da moral e do próprio rock. O rock sobrevive, e é o estilo musical e a tribo mais flexível e adaptável, sacerdotes da deusa Musica que mais rapidamente se ajustam as mudanças sociais, comerciais e tecnológicas.

Arte é uma experiência, é inodora, incolor e insípida. Não pode ser engarrafada, enjaulada ou acorrentada. Arte é nossa humanidade não física.

Em 1969 os Beatles filmavam “Let it be” O conceito inicial do filme era documentar a produção de um álbum e desde o início estava previsto um show para encerrar o ciclo. Paul queria tocar em um clube pequeno. John sugeriu um local distante da Inglaterra ou um asilo (como uma forma de ironizar os críticos). Ringo queria ficar na Inglaterra e George se animava com a idéia de tocar ao vivo em qualquer lugar. A relação entre os 4 músicos já estava difícil e George Harrison chegou até a anunciar sua saída da banda ficando afastado por algumas semanas. Como não conseguiram chegar a um consenso resolveram tocar no telhado do prédio da Apple em Savile Row.

Em 1969, enquanto filmavam “Let it be”, e gravavam seu último álbum juntos, os Beatles subiram no telhado da Apple em Londres. Tocaram rock. Pararam a rua, tomaram a atenção de passantes desprevenidos, gritaram aos 4 cantos do topo do mundo para todos que quisessem parar e ouvir. Foi a última apresentação pública da banda.

Ao perceber as mudanças inevitáveis a maior, e mais politizada, banda de todos os tempos libertou sua obra. Resta saber se outros, 40 anos depois, terão coragem de fazer o mesmo.

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

E assistindo o concerto não parecia que estavam em crise, em ponto de se separar. Foram meteóricos, intensos e fantásticos. Acho que foi uma banda que nunca deveria ter acabado, mas, ao mesmo tempo, acho que não precisariam fazer mais nda para serem os maiores.

Fabricio

21 de November de 2010

Emocionei, sério.

Ferdi

21 de November de 2010

Bruno Palestrino é um gênio, adoro quando ele deixa seus comentários brilhantes.Sim, eu sou babaca.

Carolina

18 de December de 2009

A maior banda de todos os tempos, sim. Demorei para chegar à essa conclusão óbvia, The Beatles são o começo e o fim. BrunoPalestrino

Anonymous

11 de December de 2009

2 notes

  1. Passeio no parque | Neosaldina Chick reblogged this and added:

    […] passado escrevi, no dia do rock, sobre o concerto que os Beatles fizeram no telhado da Apple (leia aqui), mas não foram os únicos a tumultuar a inflamável Londres em 1969. Os Stones também fizeram um […]

  2. Jules « Neosaldina Chick reblogged this and added:

    […] Jude” foi também o primeiro single da Apple, que acabaria com essa apresentação, algum tempo […]

%d bloggers like this: