You can scroll the shelf using and keys

O homem que te copiava

4 de July de 2009 ,

Kim Jong Il é nome do coleano maluco.

Por motivos práticos chamarei-o-o de agora em diante de K-Ji.

Seguimos…

Sempre me interessei por tipos autoritários, acho uma loucura completa um sujeito resolver tomar o governo de um país inteiro pela força e achar que isso vai dar certo.

Segue biografia resumida para informar quem quer que tenha acordado ontem de um coma e não saiba nada sobre o líder da República Democrática da Coreia do Norte.

K-Ji nasceu em 1942, filho do antigo líder Kim Il-sung. K-Ji atualmente ocupa os cargos de secretário geral do Partido dos trabalhadores da Coreia e de presidente da Comissão Nacional de Defesa. É popularmente chamado de “querido líder” e está presente em praticamente todos os aspectos da vida da população, fazendo dele o líder mais totalitário da atualidade. Já nomeou seu filho como seu sucessor.

Desde que assumiu, a figura aparece nas notícias pelo estilo de playboy, por gostar de mulheres (as mais jovens principalmente) e bebidas. K-Ji gosta das coisas boas da vida rica e capitalista e admira filmes de faroeste.

Com problema de fluxo de caixa, o genial governante, com pouco dinheiro e muitas idéias, no final da década de 70, teria comprado do governo Irã “uma impressora genuína de dólares após a queda do Xá”. Começou a produzir as notas logo em seguida que já em 80 começaram a distribuir, por Singapura partindo em seguida para Europa, o Médio e o Extremo Oriente na década de 90. Com o lucro de fabricar falsificações impressionantemente bem feitas e se aliar a organizações terroristas, K-Ji financiou seu programa bélico que resultou nas tais bombas que estão apavorando todo mundo.

O governo autoritário de K-Ji conseguiu praticamente criar um bloco econômico, se aproveitou da ganância dos sistemas paralelos e devidamente reprimidos e excluídos por ilegítimos na maioria dos casos, para lavar o dinheiro proveniente da venda de dinheiro falso. Sim, ele financiou o programa bélico com dinheiro verdadeiro. Dinheiro verdadeiro da venda de dinheiro falso. É tão doido que eu tive que repetir.

Conheço uma moça que vende bolsas falsificadas da Louis Vuitton. Com o lucro comprou uma Prada, verdadeira, parcelada em 6x no cartão Visa. O marido trabalha no Banco do Brasil, entre outras coisas, na aprovação de crédito.

Esses tais humanos não são fabulosos?

Who´s bad?

Ahhh! Em tempo: Atualizei a lista de filmes com uma homenagem ao K-Ji. Faroeste de primeiríssima “Once upon a time… In the west”. Em português “Era uma vez… No oeste”. Irônica eu, não? Fotografia desbundante, direção de Sergio Leone, trilha de Ennio Morricone (ainda vou acrescentar muitos filmes dele aqui). Pra ver sem pressa, com gente bacana. Pessoal de comédia romântica não costuma gostar. Fica a dica!

What do you think?

Please keep your comments polite and on-topic.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

comments

Espero que você entenda e não prolongue o assunto que não tem absolutamente nada a ver com meus textos, não promove discussão sobre os temas e não agrega nada. Este blog não é sobre ficção, não sou escritora e não quero vender nada.Acho muito nobre tua iniciativa, acho que seria um convite mais válido e menos obviamente interesseiro se vc não colocasse depois de todas as suas mensagens todos os seus contatos. Tivesse vc entrado, elogiado/criticado/contribuído com a discussão, e feito um convite para visitar seu blog e conhecer sua iniciativa, eu escreveria, divulgaria e apoiaria contatando outras pessoas. Da forma como vc fez, a sua vontade de aparecer enfraquece a nobreza da tua causa.Me respeite pela condição igualmente humana, contate pessoas desinteressadamente e não utilize o espaço delas pra impor a sua presença. É deselegante, desesperado e fraco.Não se desculpe, seu comentário não me decepcionou. Apenas acredite voce, antes de mais nada, na tua caminhada.Parabéns pela iniciativa e agradeço a oportunidade mas prefiro seguir meu caminho independente. Deixo livre seu jornal para escritores mais ingênuos.Esse é o ponto final, agradeço antecipadamente seu silêncio no MEU blog sobre ESTE assunto.Bjão!Apenas CarolinASem contato

Carolina

9 de July de 2009

Caroline, tudo bem?Em primeiro lugar desculpe pela decepção quanto ao conteúdo do comentário. Meu nome é Carlo, sou da cidade de Machado, sul de Minas. Venho com muito sacrifício divulgar gratuitamente toadas as pessoas ligadas à uma manifestação cultural; e você se encaixa nisso.Eu ando (e sempre continuarei) divulgando o fanzine devido ao seu objetivo, independente se a pessoa é da roça, ou abastada intelectualmente. Graças a minha determinação venho contactando muitas pessoas (como você pode ver no meu blog) qe acreditam na minha caminhada.Considere esta (propaganda) como um singelo convite de alguém que tem muito respeito por você e pelo seu trabalho. Fica o convite para ser colunista do Fanzine Episódio Cultural (no formato impresso com tiragem de 2 mil exemplares/bimestral). Você pode divulgar (enviando a cada dois meses)um conto, ou poema, um artigo do seu blog, uma mensagem, um release, sua biografia, enfim…muita coisa. Mas apenas um texto a cada dois meses. Entre em contato comigo pelo e-mail (machadocultural@gmail.com) ou pelo telefone (35) 3295-6106, caso eu não esteja a bina acusa o número.Um grande beijo e um cultural abraçoCarlosobs: sou autor do livro O ANJO E A TEMPESTADE (Editora Insanno), mas assino como "Agamenon Troyan"

Fanzine Episódio Cultural

9 de July de 2009

Roooooooobert!!!!!!!!!!!! Tá parecendo que só quem ta se divulgando aqui é vc. E meu selo de qualidade não é gratuito. Se quiser que eu te apóie, me suborne.

Carolina

9 de July de 2009

O Episódio Cultural é um fanzine bimestral (2 mil exemplares), distribuído gratuitamente na região sul de Minas Gerais. Segundo o editor, Carlos Roberto de Souza, o objetivo é divulgar todas as manifestações culturais e as pessoas (profissionais ou não) que nelas atuam gratuitamente:Poemas, contos, livros, escritores, cinema, teatro, esporte, moda, folclore, Artes Plásticas, grafiti, música, bandas, curiosidade, turismo… Entre em contato e participe…Divulguem-se!Contatos;Carlos (editor)(35) 3295-6106 (Machado-MG)machadocultural@gmail.comhttp://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.comwww.myspace.com/tarokid2003

Fanzine Episódio Cultural

9 de July de 2009

Da série: Pense antes de escrever. Recebi por e-mail, quando fui responder o autor já havia deletado. Fica o comentário e a resposta, caso mais alguém tenha essa dúvida…"Rodrigo Vieira deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O homem que te copiava":"Chamarei-o-o"?Acho que você queria dizer "Chamá-lo-ei", a mesóclise.Abraço"Hola Rodrigo, que tal? Meso-QUEM? Juuura? :)Tenho um humor ácido e não poupo nem a gramática pra conseguir prender meu leitor. Ritmo, humor, opinião e cadência. Tem uns erros de digitação que escapam mas esse, especificamente, era uma brincade-i-ra. Ok, babe? Bjão!

Carolina

8 de July de 2009

6x sem juras, 6x sem juras, 6x sem juras,6x sem juras,6x sem juras, 6x sem juras.E uma salva de palmas pra caravana de Miami.

Carolina

6 de July de 2009

Fabulosos demais, pqp!!! 6 vezes sem juros?!😉

Franklin

6 de July de 2009

Essa nem eu que sou quase sabida, sabia… Comentário recebido pelo twitter: "Isso daria um blog inteiro. Ele é tão ridículo que a Coréia do Norte tem uma webstore oficial" http://www.korea-dpr.com/catalog2/Dica do super Cardoso: http://cardoso.wordpress.com/

carolina

5 de July de 2009

%d bloggers like this: